Repórter Marco Filho passa dos limites em esnobação ao conjunto dos vereadores. Contrato que a emissora tem com a Câmara deveria ser rescindido imediatamente.

Depois de ver um suspeitíssimo projeto de permuta de terreno ser rejeitado soberanamente pela maioria dos vereadores, o repórter levou ao seu programa de bajulação rasteira o presidente da câmara e o dono do terreno, que passaram meia hora protagonizando um espetáculo de achincalhamento dos próprios vereadores.

Quem assistiu ao programa teve a sensação de que os vereadores que votaram contra o projeto causaram um grande mal à população. Deu vontade de vomitar com o espetáculo.

O contrato deveria ser rescindido imediatamente.

O repórter, que deveria, no mínimo, levar o contraditório ou ampliar a participação aos vereadores que votaram contra, ao contrário, montou um teatro ridículo, onde se pretendeu esconder os verdadeiros e imorais motivos que levaram os gestores dos dois poderes a insistirem em projeto tão horroroso. A entrevista se transformou em uma defesa do projeto imoral e corrupto. A credibilidade do jornal vai ao fundo do poço.

A bancada de oposição precisa se reunir e exigir a imediata rescisão desse contrato.